quarta-feira, 29 de outubro de 2008

A banda é de São Paulo e começou a se formar em 2000, tendo a sua formação atual: Cássio, Ruy, Wesley, Kali e Janaína.
Certo dia, ao ler um poema de Manuel Bandeira, Wesley percebeu que havia muita musicalidade, então adaptou um pouco a letra, mostrou para Ruy que encaixou perfeitamente uma base de violão, fazendo surgir o primeiro poema musicado da banda, Flor de Laranjeira.
Eles ficaram muito satisfeitos com o resultado e se interessaram pela possibilidade de musicar outros poemas, foram pesquisar em Carlos Drummond de Andrade, Vinícius de Moraes, Fernando Pessoa, Gonçalves Dias e também continuaram fazendo poesias e músicas próprias, começando a formar assim a personalidade da banda e o estilo que iria ser definido mais tarde como Lítero-Musical.
Ânima em latim significa Alma, esse nome transmite muito bem a mensagem da banda, o estilo, as letras poéticas, a preocupação com a harmonia e a literatura. [Fonte]

Canção do exílio
Poesia: Gonçalves Dias

Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá;
As aves, que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.

Nosso céu tem mais estrelas,
Nossas várzeas têm mais flores,
Nossos bosques têm mais vida,
Nossa vida mais amores.

Em  cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer eu encontro lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Minha terra tem primores,
Que tais não encontro eu cá;
Em cismar – sozinho, à noite –
Mais prazer eu encontro lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Não permita Deus que eu morra,
Sem que eu volte para lá;
Sem que disfrute os primores
Que não encontro por cá;
Sem qu'inda aviste as palmeiras,
Onde canta o Sabiá. 

De Primeiros cantos (1847)

O “Música Surda”, quarteto carioca, fundado em outubro de 2001, é essencialmente, um grupo de criação poética e musical voltado para a elaboração de canções brasileiras. Realiza musicalmente a poesia de autores consagrados e de novos expoentes da poesia em língua portuguesa. Assim, o grupo contribui para a ampliação do cancioneiro brasileiro, uma vez que todas as canções são inéditas de autoria dos integrantes do grupo, que também se encarrega da construção de texturas e paisagens sonoras através da criação e concepção de arranjos que buscam a renovação e o sentido poético do gênero canção.

O “Música Surda” é formado por Andréia Pedroso (voz), Antonio Jardim (violão de 6 cordas), Artur Gouvêa (violão de 6 cordas) e Eduardo Gatto (violão de 8 cordas)

A escolha do nome Música Surda faz referência ao Poema homônimo, escrito pelo carioca Dante Milano (1899-1991). [Fonte]

Respiro teu nome
Música: Antonio Jardim
poesia: Cecília Meireles

Respiro teu nome.
Que brisa tão pura
súbito circula
no meu coração!
Respiro teu nome.
Repentinamente,
de mim se desprende
a voz da canção.
Respiro teu nome.
Que nome? Procuro...
- Ah! teu nome é tudo.
E é tudo ilusão.
Respiro teu nome.
Sorte. Vida. Tempo.
Meu contentamento
é límpido e vão.
Respiro teu nome.
Mas teu nome passa.
Alto é o sonho. Rasa,
minha breve mão.

Do CD O Livro das canções - Música Surda

Jonhaton Earl Bowser

Clique na imagem para entrar no álbum do Picasa

Jonathon Earl Bowser - é um canadense que nasceu em 1962, começou a pintar aos 8 anos e aos 18 já havia se graduado na Alberta College of Art.

Related Posts with Thumbnails

Poética

Poesias

Poetas

Vídeos

A Voz aqui

Pergunte-me

Me leva!

A Poética dos Amigos

Google+

Feed

Posts Coments

Receber postagens por E-mail

Carregando...

Perdi todos :'(

Arquivos