sexta-feira, 31 de outubro de 2008

a_beira_mar4
                                          imagem da internet


Minhas palavras são a metade de um diálogo obscuro
continuado através de séculos impossíveis.
Agora compreendo o sentido e a ressonância
que também trazes de tão longe em tua voz.
Nossas perguntas e respostas se reconhecem
como os olhos dentro dos espelhos. Olhos que choraram.
Conversamos dos dois extremos da noite,
como de praias opostas. Mas com uma voz que não se importa...
E um mar de estrelas se balança entre o meu pensamento e o teu.
Mas um mar sem viagens.


[Diálogo - Cecília Meireles]

A história de Lili Braun
Autores: Chico Buarque e Edu Lobo
Intérpretes: Edu Lobo e Mônica Salmaso
Programa Som Brasil - Edu Lobo
[Fonte]

Preciso Aprender a Só Ser
Autor: Gilberto Gil
Intérprete: Renato Braz
Programa Som Brasil - Gilberto Gil
[Fonte]


                                   imagem: Washington Maguetas

 

Há dentro de mim uma paisagem
entre meio-dia e duas horas da tarde.
Aves pernaltas, os bicos mergulhados na água, 
entram e não neste lugar de memória,
uma lagoa rasa com caniço na margem.
Habito nele, quando os desejos do corpo,
a metafísica, exclamam:
como és bonito!
Quero escrever-te até encontrar
onde segregas tanto sentimento.
Pensas em mim, teu meio-riso secreto
atravessa mar e montanha,
me sobressalta em arrepios,
o amor sobre o natural.
O corpo é leve como a alma,
os minerais voam como borboletas.
Tudo deste lugar
entre meio-dia e duas horas da tarde.

 

[O amor no éter - Adélia Prado]

VikingsDaughter 
                              imagem: William Whitaker

 

Penso linhos e ungüentos
para o coração machucado de Tempo.
Penso bilhas e pátios
Pela comoção de contemplá-los.
(E de te ver ali
À luz da geometria de teus atos)
Penso-te
Pensando-me em agonia. E não estou.
Estou apenas densa
Recolhendo aroma, passo
O refulgente de ti que me restou.

 

[Penso linhos e ungüentos - Hilda Hilst]

airships_Jeffrey_K_Bedrick 


Poesia
não é palavra apenas, - construída
é algo sem explicação
dentro, e acima de nós;
uma flor que de repente se entreabre
e se balança,
na ponta de um ramo ao sopro do vento,
e tem alma, e tem voz,
tem sentimento,
e é luz, perfume, imagem,
misteriosa e singular linguagem
secreta,
desconhecida,
humana ou divina
premonição da vida
no coração
do Poeta.

frag. de Carta ao Poeta João Cabral de Mello Neto
J. G. de Araújo Jorge
leia na íntegra >> Aqui





Imagem: Jeffrey K Bedrick

introspeccao
                                                       imagem da internet


XII

Se te pareço noturna e imperfeita
Olha-me de novo. Porque esta noite
Olhei-me a mim, como se tu me olhasses.
E era como se a água
desejasse

Escapar de sua casa que é o rio
E deslizando apenas, nem tocar a margem.

Te olhei. E há um tempo.
Entendo que sou terra. Há tanto tempo
Espero
Que o teu corpo de água mais fraterno
Se estenda sobre o meu. Pastor e nauta

Olha-me de novo. Com menos altivez.
E mais atento.

Hilda Hilst
do livro Júbilo Memória Noviciado da Paixão - 1974

 nuvem_m_30

 
CONTEMPLAÇÃO DA NUVEM
Antonio Brasileiro

A vida é a contemplação daquela nuvem.
E o mundo
uma forma de passar, que inventamos
para não ver que o mundo não é o mundo,
mas uma nuvem passando.

E uma nuvem passando
ensina-nos mais coisas que cem pássaros
mil livros um milhão de homens.

A vida é a contemplação daquela nuvem.
E o mundo
uma forma de passar, que inventamos
para não ver que o mundo não é o mundo,
mas uma nuvem. Passando.


imagem: daqui
Related Posts with Thumbnails

Poética

Poesias

Poetas

Vídeos

A Voz aqui

Pergunte-me

Me leva!

A Poética dos Amigos

Google+

Feed

Posts Coments

Receber postagens por E-mail

Carregando...

Perdi todos :'(

Arquivos