domingo, 1 de fevereiro de 2009

beijo_22 
                                          imagem da internet

CORPOS
ANDERSON CHRISTOFOLETTI


O sono transpõe a interface
Da luz com a sombra
E teu olhos – monocromáticos -
Fogem dentro da noite
Mergulhando num eclipse somático.

Meus desejos serpenteiam em tua pele-pétala
Invadindo domínios, subjugando defesas,
Devorando aquilo que meus olhos delineiam.

A obtusa face da sede
Se revela e se expressa
Frente à tua
Sublime poesia de fêmea.
Não há tempo consciente para a fome;
Não há limite plausível para o corpo que, outro corpo, devora;
Não há fronteira,
Nome,
Hora...

Identidades fragmentam-se na explosão
Dos sentidos, na revolução da carne.

A lua inclusa sob um negro céu
Escorre em seu halo crescente
E denuncia o grito corporal do gozo.

No silêncio mais expressivo dos seres,
O sono transpõe a interface da noite com a aurora
E nossos olhos comungam anseios saciados
Sob um eclipse etéreo e redentor.

©Anderson Christofoletti
Fonte: http://andersonchristofoletti.blogspot.com

Related Posts with Thumbnails

Poética

Poesias

Poetas

Vídeos

A Voz aqui

Pergunte-me

Me leva!

A Poética dos Amigos

Google+

Feed

Posts Coments

Receber postagens por E-mail

Perdi todos :'(

Arquivos