sábado, 20 de junho de 2009

E hoje amanheceu assim… festejando a chuvinha fina que caiu agora a pouco…

"Minha flor, é flor do campo,
É luz que descobre pela manhã
E na erva poisa seu manto(….)"
Jorge Humberto

flor36

 

"Como é bonito o mato,
Os caminhos com o encanto
Das flores caipirinhas!

flor31

 

Das flores branquinhas,
Amarelinhas, lilás e vermelhinhas,
Tão bonitinhas!

   
flor32

 

Vives, de modo singelo
Pouco te farta
E és forte de inverno
A verão!

   
flor35

Nada te abala!

Permaneces erguida, firme,
Nos tempos de maior sofreguidão...

   
flor28

 

Para cultivar-te, o canto dos pássaros,
E o amor do coração

   
flor29

 
Dos que se detém
A apreciar-te ornando os campos agrestes!

   
flor30

 
(…)E o perfume agreste das flores, perfuma,
A labuta dessa criatura aqui,

   
flor38

 
Que sabe que em cada
Pedacinho de ser
Que enfeita a natureza

   
flor39

 
Tem nele contido
Um pedacinho de Deus,

   
flor20

E tão raras pra quem
Sabe vê-las, entendê-las e escrevê-las...”(1)
Marluce Freire Nascasbes

   
flor21

"Se o céu lacrimeja e lamenta
há flores no campo

   
flor23

Se o choro é incontido e a dor é tanta
há flores no campo

   
flor25

Se a paz é fugidia e se ausenta
há flores no campo

   
flor26

Se a vida não mais encanta
ainda assim,  haverá  flores no campo

   
flor27

Se acaso a morte vier, implacável ou lenta
certamente haverá flores no campo(...) (2)
Úrsula Avner

 

Fotos: Luciana

(1) Trechos da poesia “As flores do campo, as flores da vida...”  autoria de Marluce Freire Nascasbes

(2) Trechos da poesia “Flores do Campo” autoria de Úrsula Avner

theberge1
                                            Claude Theberge

SONETO DE AMOR
José Régio

Não me peças palavras, nem baladas,
Nem expressões, nem alma... Abre-me o seio,
Deixa cair as pálpebras pesadas,
E entre os seios me apertes sem receio.

Na tua boca sob a minha, ao meio,
Nossas línguas se busquem, desvairadas...
E que os meus flancos nus vibrem no enleio
Das tuas pernas ágeis e delgadas.

E em duas bocas uma língua..., - unidos,
Nós trocaremos beijos e gemidos,
Sentindo o nosso sangue misturar-se.

Depois... - abre os teus olhos, minha amada!
Enterra-os bem nos meus; não digas nada...
Deixa a Vida exprimir-se sem disfarce!

Related Posts with Thumbnails

Poética

Poesias

Poetas

Vídeos

A Voz aqui

Pergunte-me

Me leva!

A Poética dos Amigos

Google+

Feed

Posts Coments

Receber postagens por E-mail

Carregando...

Perdi todos :'(

Arquivos