sábado, 2 de janeiro de 2010

"Por mais raro que seja, ou mais antigo,
Só um vinho é deveras excelente.
Aquele que tu bebes, docemente,
Com teu mais velho e silencioso amigo "
(Mario Quintana)

vinho

VINHO E VIRTUDE
Charles Baudelaire

Deveis estar sempre bêbado.

Nada mais conta.

Para não sentir a horrível perda de tempo que esmaga os nossos ombros e nos faz pender para a terra, deveis embebedar-vos sem tréguas.

Mas de quê?

De vinho, de poesia ou de virtude, à vossa escolha. Mas embebedai-vos.

E se algumas vezes nos degraus de um palácio, na erva verde de uma vala, na solidão baça do vosso quarto, acordais, já diminuída ou desaparecida a bebedeira, perguntai ao vento, à vaga, à estrela, à ave, ao relógio, a tudo o que foge, a tudo o que geme, a tudo o que rola, a tudo o que canta, a tudo o que fala, perguntai que horas são; e o vento, a vaga, a estrela, a ave, o relógio, vos responderão: "são horas de vos embebedardes!"

Para não serdes os escravos martirizados do tempo, embebedai-vos sem cessar!

De vinho, de poesia, ou de virtude, à vossa escolha.

vinho_e_lareira

ODE AO VINHO
Pablo Neruda

Vinho cor do dia
vinho cor da noite
vinho com pés púrpura
o sangue de topázio
vinho,
estrelado filho
da terra
vinho, liso
como uma espada de ouro,
suave
como um desordenado veludo
vinho encaracolado
e suspenso,
amoroso, marinho
nunca coubeste em um copo,
em um canto, em um homem,
coral, gregário és,
e quando menos mútuo.

O vinho
move a primavera
cresce como uma planta de alegria
caem muros,
penhascos,
se fecham os abismos,
nasce o canto.
Oh tu, jarra de vinho, no deserto
com a saborosa que amo,
disse o velho poeta.
Que o cântaro do vinho
ao peso do amor some seu beijo.

Amo sobre uma mesa,
quando se fala,
à luz de uma garrafa
de inteligente vinho.
Que o bebam,
que recordem em cada
gota de ouro
ou copo de topázio
ou colher de púrpura
que trabalhou no outono
até encher de vinho as vasilhas
e aprenda o homem obscuro,
no cerimonial de seu negócio,
a recordar a terra e seus deveres,
a propagar o cântico do fruto.

vinhoepoesia

SONETO DO VINHO
Jorge Luis Borges

Em que reino, em que século, sob que silenciosa
Conjunção dos astros, em que dia secreto
Que o mármore não salvou, surgiu a valorosa
E singular idéia de inventar a alegria?

Com outonos de ouro a inventaram.
O vinho flui rubro ao longo das gerações
Como o rio do tempo e no árduo caminho
Nos invada sua música, seu fogo e seus leões.

Na noite do júbilo ou na jornada adversa
Exalta a alegria ou mitiga o espanto
E a exaltação nova que este dia lhe canto

Outrora a cantaram o árabe e o persa.
Vinho, ensina-me a arte de ver minha própria história
Como se esta já fora cinza na memória.

vinho_coracao

VINHOS E MULHERES
Agilson Gavioli

Mulheres vestidas de branco me fazem chorar,
vestidas de mel me adoçam o olhar e
vestidas com vinho me fazem corar.
Extraído das uvas, femininas formas naturais,
natural bebida é o vinho!
Bebida que encanta como as mulheres,
que embriaga como as mulheres,
e nos põe a sonhar... como as mulheres!

VINHOS E LIVROS
Cardoso Marta

Da vida sábia e sem perda
Melhor exemplo não topo
Que um livro na mão esquerda
E na mão direita um copo.

Com igual fervor constante
Tua mão colide e agrega
Bons livros, na tua estante
Bons vinhos, na tua adega!

"Sobre ti tombarei, vegetal ambrosia,
Grão precioso que lança o eterno Semeador,
Para que enfim do nosso amor nasça a poesia
Que até Deus subirá como uma rara flor!"
(Guilherme de Almeida)

Imagens: de diversas fontes da Internet

5 comentários:

Principe Encantado disse...

Todos excelentes lindos, parabéns amiga, por mais esta seleção.
Abraços forte

Fernando Monção - disse...

Olha, numa boa...cheguei aqui a pouco tempo, mas tenho tido tanto prazer em acordar e ter acesso a pérolas como essas...imagino quanto tempo e dedicação minha comadre teve pra escolher os textos, as fotos, arrumar a mesa e convidar a mim e aos outros para esse porre!
Muito obrigado mesmo...
Sim vou ficar bêbado hoje o dia inteiro...e quando começar a passar o efeito eu volto, posso?
Não sei se já disse, mas sou descedente de ciganos e tem um tradição familiar muito bacana assim:
Quando um cigano precisa ter uma conversa privada com outro cigano, se dá da seguinte forma: o que convida pra conversa, espera que o outro marque o dia, hora e local, é uma forma de deixá-lo à vontade... e por sua vez ele leva uma garrafa de vinho e outra de água, quando se sentam, este serve as taças e coloca nelas água e vinho, a proporção mostra o teor da conversa.
Se ele servir mais água que vinho o assunto é sério, precisa de sobriedade, se for mais vinho é mais ameno... água pura é sinal de muita atenção...e vinho puro total descontração...É divaguei em lembranças... virou mesmo papo de botequim, rsrs, parabénes e obrigado de novo,
seu compadre
Fernando.

Marcos Mariano disse...

sou apaixonado por poesia
seu blog é simplesmente maravilhoso
mas a minha embriagues é de virtude mesmo,amei o poema

LISON disse...

Saudações!
Que Post Fantástico!
Amiga Sereníssima, uma seleção de alto brilho que vem ao encontro de todos nós. Belíssimos todos os Poemas!
Parabéns pelo lindo Post!
Abraços fraternos,
LISON.

Anderson Christofoletti disse...

Maravilha começar o ano com vinho, poesia e uma linda rosa vermelha!!!

Related Posts with Thumbnails

Poética

Poesias

Poetas

Vídeos

A Voz aqui

Pergunte-me

Me leva!

A Poética dos Amigos

Google+

Feed

Posts Coments

Receber postagens por E-mail

Perdi todos :'(

Arquivos