sábado, 30 de janeiro de 2016
Arte: Steve Henderson

CANÇÃO DO AMOR SERENO
Lya Luft

Vem sem receio: eu te recebo
Como um dom dos deuses do deserto...
Que decretaram minha trégua, e permitiram
Que o mel de teus olhos me invadisse.

Quero que o meu amor te faça livre,
Que meus dedos não te prendam
Mas contornem teu raro perfil
Como lábios tocam um anel sagrado.

Quero que o meu amor te seja enfeite
E conforto, porto de partida para a fundação
Do teu reino, em que a sombra
Seja abrigo e ilha.

Quero que o meu amor te seja leve
Como se dançasse numa praia uma menina.



Lya Luft - A Voz da Poesia

9 comentários:

Poética, Márcio Ide disse...

O Amor é flor e espada.

Poética, Márcio Ide disse...

Tão delicados os teus versos, apurados de muitos anos de lágrimas e alegrias.

Poética, Márcio Ide disse...

Tão delicados os teus versos, apurados de muitos anos de lágrimas e alegrias.

Poética, Márcio Ide disse...

Jovem, criança de inocência, sacerdotisa Vestal milenar sem idade,
Seu sincero, fresco e profundo amor, com um sopro e com a a força de espada abriu meu coração com toda força e felicidade, dor e sobretudo Amor.

O ar depois de sair da tua respiração se tornava o hálito dos jardins e das manhãs. A vontade irresistível de acreditar na vida e amar. É abraçar o feroz selvagem coração do tempo e mergulhar no seu abismo para enfim aprender a voar.

Poética, Márcio Ide disse...

Jovem, criança de inocência, sacerdotisa Vestal milenar sem idade,
Seu sincero, fresco e profundo amor, com um sopro e com a a força de espada abriu meu coração com toda força e felicidade, dor e sobretudo Amor.

O ar depois de sair da tua respiração se tornava o hálito dos jardins e das manhãs. A vontade irresistível de acreditar na vida e amar. É abraçar o feroz selvagem coração do tempo e mergulhar no seu abismo para enfim aprender a voar.

Poética, Márcio Ide disse...

Para as flores de lis. As Vestais. Conscientes ou não.

Poética, Márcio Ide disse...

Para a poetisa Jacqueline Collodo Gomes.

Poética, Márcio Ide disse...

Também é poesia se desfazer no ar. No rosto da vida e na face do Céu Eterno e lá renascer para sempre.

Poética, Márcio Ide disse...

Te deixo uma flor de mim pousado na flor do teu peito. Espero que nos encontremos onde o Azul é Eterno, mas Asas da pura e perfeita Liberdade.

Related Posts with Thumbnails

Poética

Poesias

Poetas

Vídeos

A Voz aqui

Pergunte-me

Me leva!

A Poética dos Amigos

Google+

Feed

Posts Coments

Receber postagens por E-mail

Perdi todos :'(

Arquivos