domingo, 27 de dezembro de 2009

salvador_dali_explosion
                                         Pintura de Salvador Dali

CONDUTA E POESIA
Pablo Neruda

Quando o tempo nos vai comendo com o seu relâmpago quotidiano decisivo, as atitudes fundadas, as confianças, a fé cega se precipitam e a elevação do poeta tende a cair como o mais triste nácar cuspido, perguntamo-nos se já chegou a hora de envilecermos. A hora dolorosa de ver como o homem se sustém a puro dente, a puras unhas, a puros interesses. E como entram na casa da poesia os dentes e as unhas e os ramos da feroz árvore do ódio.
É o poder da idade, ou proventura, a inércia que faz retroceder as frutas no próprio bordo do coração, ou talvez o «artístico» se apodere do poeta e, em vez do canto salobro que as ondas profundas devem fazer saltar, vemos cada dia o miserável ser humano defendendo o seu miserável tesouro de pessoa preferida?
Aí, o tempo avança com cinza, com ar e com água! A pedra que o lodo e a angústia morderam floresce com prontidão com estrondo de mar, e a pequena rosa regressa ao seu delicado túmulo de corola.
O tempo lava e desenvolve, ordena e continua.
E que fica então das pequenas podridões, das pequenas conspirações do silêncio, dos pequenos frios sujos da hostilidade? Nada, e na casa da poesia não permanece nada além do que foi escrito com sangue para ser escutado pelo sangue.

In Nasci para nascer, 1981

9 comentários:

Principe Encantado disse...

Amiga adorei o texto escolhido do Pablo, parabéns por seu apurado bom gosto.
Abraços forte

Serenissima disse...

Meu amigo Principe,
que bom que gostou ;)
Obgda pelas suas palavras, você sempre prestigiando esse cantinho com as suas visitas e comentários!

Abraço carinhoso

www.angel.rose disse...

Linda poesia
parabéns pela escolha

Serenissima disse...

Rose,
eu também adoro ele!
Obgda pela visita e comentário ;)

Abraço carinhoso

Mr.Jones disse...

imagine uma pessoa encantada em ler um encanto de poesia...Esse sou eu.
bjs

Serenissima disse...

Meu amigo Mr. Jones
que bom vê-lo aqui ;)
Obgda!

Bjsss

Ebrael Shaddai disse...

Demais, Serena Poetisa!!

Genial!! Ele era o cara mesmo!! E esse texto tem tudo a ver com meu momento presente!!

Tô na fase da Dança da Chuva, rogando aos céus uma resposta que não chega!! Abro meu peito apar que um analista cego me destrinche e me diga qual é o diagnóstico da alma!! Puro Silêncio!! Aquela vozes, que agora acho que eram irritantes, das Musas pedindo por caneta e papel, não me falam nada!!

Ficam lá, a entoar melodias monótonas aos marinheiros e camponeses, enquanto eu aqui...eu aqui com minhas quimeras de Augusto dos Anjos!!

E eu?? Fico aqui com o José do Drummind!! E agora, José?? E agora, Ebrael?? E o Poeta ainda debocha do mmeu rosto suado, depois do Amor:

- Hoje beija, amanhã não beija; depois de amanhã é domingo e segunda-feira ninguém sabe o que será.

Bjks, Serena Poetisa!!

Francisco Castro disse...

Olá!

A poesia de Neruda é um encanto que magnifica da vida, o pensar e a sensibilidade de qualquer pessoa. A sua poesia é rica em vida, amor, esperança e ternura.

Abraços

Francisco Castro

LISON disse...

Saudações!
Que Post Fascinante!
Amiga Serenissima, uma Poesia absolutamente, magistral!
Parabenizo-a de todo o coração pela escolha do consagrado Poeta!
Parabéns pelo belíssimo Post!
Abraços,
LISON.

Related Posts with Thumbnails

Poética

Poesias

Poetas

Vídeos

A Voz aqui

Me leva!

A Poética dos Amigos

Google+

Feed

Posts Coments

Receber postagens por E-mail

Perdi todos :'(

Arquivos